Após se apresentar em Araçoiaba da Serra, no interior de São Paulo, a cantora fez uma reflexão de tudo o que passou ao longo de sua vida, inclusive depois de conquistar a fama.

“Como sentir amor é bom. Como é bom saber que existem pessoas maravilhosas como vocês de Araçoiaba da Serra e de tantos lugares que passo. Olhar esses olhos brilhantes e sorrisos verdadeiros e poder agradecer a Deus por hoje enxergar só amor. Estamos vivendo momentos difíceis no nosso mundo, momentos de depressão, de suicídios quase em série, de gente que se olha no espelho e não se ama… Os dias chegam cada vez mais cinza, e hoje eu quero te falar sobre o que eu vivi”, afirmou.

Segundo a cantora sertaneja, ela conheceu o ódio depois que ficou conhecida na mídia. “Sempre fui uma pessoa muito querida na escola, na família, com os amigos… Em tempos de Marília Mendonça conheci um tipo de amor diferente que ultrapassa fronteiras chamado fã, mas também conheci o ódio de gente frustrada e invejosa que ainda não consigo dar um nome (pois nada é tão feio e triste que se possa nomear tal tipo de pessoa)… Mas, eu sobrevivi, sabia? Sobrevivi à gente que difamou meu corpo, minha voz, o meu cabelo… sobrevivi a gente que desacreditou, que xingou, que odiou quando me viu feliz num relacionamento totalmente puro e planejado por Deus, que desejou que eu morresse em um dia que simplesmente adoeci… Sobrevivi à falta da minha família, à falta do meu quarto, à falta dos meus amigos… E estou aqui, firme e forte e feliz, dizendo com todas as letras… Feche seus olhos e finja demência para quem não tem amor para dar. Abra seu coração e o seu sorriso para quem faz como Araçoiaba fez hoje: te ama e te recebe do jeito mais bonito que tem… Obrigada Deus! Obrigada Araçoiaba”, escreveu.