O jogo

O Campo Mourão recebeu neste domingo o Joinville, pela Liga Nacional de Futsal, e fez valer o chamado “fator casa” na disputa contra o rival catarinense, campeão do torneio em 2017. O time paranaense venceu por 3 a 1, com gols de Caio, Vini e Fabrício, em embate válido pela segunda semana do torneio. Bruninho descontou para a equipe visitante.

O jogo começou nervoso. Com menos de seis minutos de bola rolando na Arena UTFPR, em Campo Mourão, cinco faltas já haviam sido marcadas – quatro delas pelos mandantes. Intenso, o time da casa abriu o marcador pouco depois. Aos seis minutos, o camisa 21 Caio abriu o placar, que permaneceu inalterado até o final da primeira etapa.

Logo na volta do vestiário, aos dois minutos, Campo Mourão ampliou. O autor do gol foi Vini, camisa 14 do time. Sete minutos depois, Bruninho diminuiu a desvantagem para Joinville, mas a esperança de igualar o marcador se esvaiu cinco minutos depois, quando Fabrício aumentou a diferença a favor dos paranaenses para 3 a 1, marcador definitivo do duelo.

Ao todo, o duelo teve 17 faltas (dez de Campo Mourão e sete de Joinville) e sete cartões amarelos, dos quais quatro para os donos da casa.

Arena UTFPR

A atual diretoria fez diversas mudanças no clube, tanto na administração quando na estrutura do time. Uma das grandes modificações estruturais se deu no próprio local que a equipe está disputando os jogos. O futsal saiu do saudoso Ginásio Valternei de Oliveira (Lar Paraná), e agora tem como casa o Belin Carolo, agora chamado de Arena UTFPR, com capacidade para 4.500 pessoas, sendo 700 em cadeiras.

A atual casa do futsal que é um dos símbolos de Campo Mourão, carrega consigo o título de maior ginásio da região da Comcam e tem muita história. O Ginásio de Esportes Belin Carolo tem esse nome em homenagem ao pioneiro, que doou o terreno onde está situada a estrutura. Campo Mourão ganhou, em 1974, o direito de sediar os Jogos Abertos do Paraná, que aconteceriam dois anos depois.

A construção foi iniciada no ano de 1975 e um ano e meio depois, já estava concluída. A obra foi feita em forma de leque, semelhante a uma construção na Alemanha. É o único ginásio do Brasil em concreto armado, com um vão livre de 67,25m. A estrutura de ferro e cimento, interligada desde o alicerce até a cobertura. A empresa responsável pela obra era a Codusa, e custou mais de oito milhões de cruzeiros, pagos com recursos próprios da Prefeitura.

O ginásio foi cedido, em 1995, para implantação da UTFPR e sediou durante anos, grandes jogos e decisões no futsal e handebol. Devido a problemas estruturais, foi interditado em 2002 e ficou um longo período sem uso. Foi remodelado e começou a ser utilizado somente em 2015. O reencontro com o futsal se deu em 2018, durante a Liga Sul, após 23 anos – a última vez que o time mourãoense de futsal jogou no Belin Carolo, foi em 1995, nos JAP’s.

Em 2019, o Integrado Campo Mourão Umbro Futsal, demonstrando mais uma vez sua evolução dentro e fora das quadras, realizou várias reformas no ginásio. Para marcar sua passagem e deixar um legado para as próximas gerações, o time instalou quase 700 assentos para proporcionar conforto aos torcedores e incentivá-los apoiar o time, com o projeto Cadeira Tricolor. Além disso, foram construídas duas novas cabines para imprensa, instalado ar condicionado na cabine central, instalado moveis planejados nos vestiários (personalizados para cada atleta), sala de fisioterapia, além de medidas de segurança na quadra de jogo.

O diretor da UTFPR, Heron Oliveira dos Santos Lima, ressaltou a parceria entre a universidade e a Associação Campo Mourão Futsal, que proporcionou grandes melhorias ao ginásio. “O time prontamente investiu não só nas cadeiras, mas também na área de imprensa, várias adequações na quadra, e tudo isso trará mais conforto ao público”, afirmou Heron.

O time de Campo Mourão fará 18 jogos na primeira fase da Liga Nacional, nove deles em casa, contando com o apoio da torcida na Arena UTFPR.

Fonte: Globoesporte e LNF.