Anitta é a capa da edição de fevereiro da revista Marie Claire brasileira. A chamada da publicação é sobre apropriação cultural, debate que ganhou repercussão com o clipe de Vai Malandra, lançado em dezembro, onde ela aparece de tranças e usando biquíni feito de fita isolante. “já fiz muito bronze na laje, não podem me acusar de apropriação cultural”, diz o texto.

Após a divulgação da edição nesta terça, 30, Anitta usou o Instagram para falar sobre o assunto e criticar o viés dado pela revista. “Não ‘contra-ataquei’ ninguém durante a minha entrevista. Muito menos tive essa intenção quando tratamos sobre esse assunto. Assim como nunca quis me apropriar culturalmente, nem magoar ou ofender ninguém com as tranças e trabalhos que já fiz”, escreveu.

“Na minha opinião essa afirmação criada para a chamada de capa não traduz nosso papo e desperta uma polêmica como se eu tivesse um sentimento ruim sobre acusações. Eu não tenho. Muito pelo contrário. Defendo o direito de cada um a ter sua opinião, seja ela igual ou não à minha. Utilizo tudo isso para aprender diariamente a ser melhor e a respeitar o outro. Eu amei o convite, adorei fazer as fotos e tive o prazer de trabalhar com uma equipe criativa e alto astral. Admiro cada profissional da publicação, muitos deles meus amigos. Não desmereço o resultado lindo das fotos mas não poderia deixar de esclarecer esse ponto.”